Com os valores das contas de luz nas alturas, que tal uma economia de 20% com a máquina de costura?

É o que propõe a invenção dos alunos do curso de Eletricista Instalador Predial de Baixa Tensão, do Senai São Gonçalo que criaram, sob a supervisão do instrutor Fábio de Oliveira, um sensor para ligar e desligar máquinas industriais de costura. O pequeno dispositivo, instalado próximo ao pedal, faz com que a máquina funciona somente quando o profissional coloca o pé no pedal para costurar.

De acordo Fábio de Oliveira, a ideia surgiu quando ele conversava com a instrutora de costura, Rosângela Azeredo, que informou à época que um dos equipamentos teria ficado funcionando durante à noite por falta de atenção de um dos alunos. Além disso, as máquinas costumavam ficar ligadas durante o intervalo das aulas, o que contabilizava um total de pelo menos 45 minutos por dia.

Assim, Fábio levou a ideia para seus 26 alunos que resolveram fazer dela seu projeto de finalização do curso. O empenho dos alunos e bom resultado impressionaram o instrutor.

“É gratificante ver os alunos colocando em prática tudo que aprenderam no curso”, declarou.

Entre os responsáveis pelo projeto, estão o estudante de Engenharia Civil da Universo, Bruno Santos, de 21 anos, Renato Rodrigues, 31, Jaldinei Quirino, 31, e Danillo Pires, 38. Todos, agora formados, estão muito satisfeitos com o projeto que realizaram e dizem que não imaginavam que sairiam do curso conseguindo criar algo do tipo.

Bruno acredita que ter essa experiência no Senai lhe proporcionou um grande aprendizado, que pretende levar quando estiver exercendo sua profissão de engenheiro civil.

“Não quero que esse conhecimento se perca. Quero colocá-lo em prática no meu dia-a-dia”, disse.

Já para Renato, o curso foi o que o incentivou a conquistar seus sonhos e pensa em, futuramente, ingressar numa faculdade de Engenharia Elétrica. “Pretendo continuar na área e ir cada vez mais me especializando para ser um bom profissional e fazer a diferença no mercado”, revelou.

O resultado do projeto agradou tanto os alunos de costura que, embora não esteja disponível para uso pessoal e venda em grande escala,  eles já querem adquirir o sensor para sua máquina de costura particular e levar a inovação para o seu dia-a-dia profissional.

Fonte: http://www.osaogoncalo.com.br

Responder